302 Found

Found

The document has moved here.

DIR. ADJUNTA ATIVIDADES ACADÊMICAS

 

Período: 27 de Junho de 2019 
Coordenação: Dra. Andreia de Santana Silva Moreira 
Local: Rua Voluntários da Pátria nº 445 cobertura.
Cidade: Rio de Janeiro / Brasil 
Informações:

Público Alvo: residentes e profissionais médicos interessados na área.

Informações Adicionais: Toda a última quinta-feira do mês, às 18h - Não há necessidade de inscrição.

 

 

 

 

Período: 25 de Junho de 2019 
Local: Sede da SOPERJ
Cidade: Rio de Janeiro / Brasil 
Informações:

Coordenação: Dra. Isabella Ballalai - GT de Imunização/ Dra. Tania Petraglia - Departamento de Infectologia
 

Inscrições: (21) 2531-3313


Descritivo:

Cartaz

 

 

 

Período: 6 a 27 de Junho de 2019 
Coordenação: Dr. José Dias Rego 
Local: ProntoBaby
Cidade: Rio de Janeiro / Brasil 

 

23-sempre_as_quintas_junho_2019_ (1).jpg

 

 

 

Por: Teresa Santos (colaborou Dra. Ilana Polistchuck)

 

Pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) identificaram que a pressão sistólica da artéria pulmonar diminui significativamente em crianças com respiração oral após realização de adenoamigdalectomia. No entanto, em muitos casos, a cirurgia parece ser insuficiente para alcançar a resolução completa dos problemas respiratórios do sono e a normalização do índice de apneia obstrutiva e hipopneia (IAH).

O trabalho foi publicado na edição de maio do periódico International Journal of Pediatric Otorhinolaryngology.[1] A Dra. Cláudia Pena Galvão, médica especialista em otorrinolaringologia e medicina do sono e autora da pesquisa falou ao Medscape sobre o tema.

A pesquisa prospectiva foi conduzida com crianças atendidas no Ambulatório do Respirador Oral do Hospital das Clínicas da UFMG entre 2013 e 2017. Ao todo, foram incluídos 21 pacientes respiradores orais com indicação cirúrgica, sendo 11 meninos e 10 meninas que tinham entre quatro e nove anos de idade.

Os pesquisadores avaliaram pressão sistólica da artéria pulmonar, fluxo nasal e IAH no momento da indicação cirúrgica e 18 meses depois. No início do estudo, 61,9% das crianças avaliadas tinham IAH compatível com síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS).

 

Dos 21 participantes, 14 foram submetidos à cirurgia e sete não realizaram a intervenção, sendo utilizados como grupo de controle.

A adenoamigdalectomia não foi feita nesses sete pacientes devido a questões burocráticas. "O ambulatório recebe pacientes provenientes de diferentes cidades do estado. A indicação cirúrgica e a emissão da guia para a cirurgia são feitas no ambulatório e os pacientes devem autorizar o procedimento nas respectivas cidades. Há uma variabilidade em relação ao tempo de espera entre os municípios. A distribuição dos pacientes entre o grupo operado e não operado foi aleatória de acordo com esta questão burocrática", esclareceu a Dra. Cláudia.

Os resultados mostraram que o fluxo nasal médio aumentou em ambos os grupos, independentemente da cirurgia. Em contrapartida, apenas o grupo submetido à adenoamigdalectomia apresentou redução importante da pressão sistólica da artéria pulmonar. O IAH dos pacientes operados não reduziu significativamente ao longo do tempo, porém, houve tendência de redução. Já nos pacientes não operados esse índice aumentou e depois diminuiu.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503637

 

 

 

Por: Marina Cardozo

 

Alterações sutis no córtex encefálico foram comprovadas em crianças com transtorno do déficit de atenção e/ou hiperatividade (TDAH), mas não em adolescentes e adultos com o mesmo diagnóstico. O achado, portanto, indica melhora com o passar do tempo e afasta a hipótese de que o tratamento com medicamentos deixa sequelas.

Este achado é de um estudo feito pelo ENIGMA ADHD working group, do ENIGMA Consortium, uma iniciativa da University of Southern California (USC), que reúne 36 centros de pesquisa no mundo, com participação do Brasil.

O trabalho reuniu a maior população de pacientes com TDAH do mundo, e abre espaço para o aprofundamento de aspectos importantes do transtorno, como a regulação do humor.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503639

 

 

UFRJ IPPMG - Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira
Desenvolvido por: TIC/UFRJ