Foram prorrogadas até o dia 4 de abril as inscrições do concurso para obtenção do Certificado de Área de Atuação em Medicina do Adolescente, realizado pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) em comissão paritária com a Associação Médica Brasileira (AMB).

 

ACESSE AQUI A ÍNTEGRA DO EDITAL.

 

 

 

Por: Teresa Santos (colaborou Dra. Ilana Polistchuck)

 

Crianças que têm acesso a livros infantis durante a primeira infância têm mais chances de dominar habilidades de leitura, escrita e numérica, mostra estudo publicado na edição de junho de 2019 do periódico Journal of Global Health. 

A pesquisa, que foi desenvolvida por especialistas do Reino Unido e do Brasil, analisou dados de 35 países de média e baixa rendas e identificou que a probabilidade de dominar essas habilidades quase dobrou quando a criança teve acesso a pelo menos um livro em seu domicílio. No entanto, apenas metade das mais de 100.000 crianças avaliadas tinha um livro em casa. Os autores do estudo, Dr. Cesar Gomes Victora, médico da Universidade Federal de Pelotas e a economista Fernanda Ewerling, pesquisadora do Centro Internacional de Equidade em Saúde, falaram ao Medscape sobre o trabalho.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503314

 

 

 

Por: Jennifer Garcia

 

A vacina contra sarampo, caxumba e rubéola (MMR, sigla do inglês, measles, mumps, and rubella) não aumenta o risco de autismo ou desencadeia a doença em crianças suscetíveis, de acordo com um novo estudo de coorte publicado na edição de 05 de março do periódico Annals of Internal Medicine.

"Nosso estudo é, de longe, o maior estudo único até o momento, e ele aumenta significativamente o nosso conhecimento sobre o assunto, nos permitindo concluir por meio de um único estudo que mesmo aumentos diminutos no risco de autismo após vacinação com MMR são improváveis, assumindo que os resultados não tenham viés", escreveram Dr. Anders Hviid, da Statens Serum Institut, na Dinamarca, e colaboradores.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503339

 

 

 

Por: Ricki Lewis

 

O uso de vitaminas durante o primeiro mês de gestação pode reduzir pela metade o risco de transtorno do espectro autista (TEA) em irmãos de crianças afetadas, de acordo com as descobertas publicadas on-line em 27 de fevereiro no periódico JAMA Psychiatry.

Embora algumas pesquisas tenham associado o uso materno de suplementos de ácido fólico durante o início da gravidez com a redução do risco de TEA na criança, não houve estudos sobre esta associação em irmãos mais novos de crianças diagnosticadas com TEA.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503346

 

 

 

Por: Maurício Brum

 

Um estudo recém-publicado pelo periódico PLoS Medicine reforçou a associação entre a infecção pelo vírus Zika e a microcefalia durante o surto da doença no Brasil entre 2015 e 2017. O levantamento envolveu pesquisadores de Brasil, Alemanha, Canadá, Estados Unidos e Reino Unido, e analisou os registros de mais de cinco milhões de bebês nascidos neste período.

De acordo com os dados compilados, as mulheres infectadas pelo vírus Zika nos dois primeiros trimestres de gestação apresentaram uma probabilidade cerca de 17 vezes maior de dar à luz uma criança com microcefalia, quando comparadas à média nacional.

 

Texto completo em: https://portugues.medscape.com/verartigo/6503355

 

 

UFRJ IPPMG - Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira
Desenvolvido por: TIC/UFRJ