NÚCLEO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA HOSPITALAR

 

            A Lei Orgânica da Saúde - Lei 8080 de 1990 - coloca que as ações de vigilância epidemiológica são atribuições do Sistema Único de Saúde (SUS) e define Vigilância Epidemiológica como " um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento,  a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual e coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar medidas de prevenção e controle das doenças e agravos".

            Em 23/11/2004 o Ministério da Saúde publicou a portaria nº 2529 que institui o Subsistema de Vigilância Epidemiológica de Âmbito Hospitalar. Trata-se de uma estratégia para detecção de Doenças de Notificação Compulsória (DNC) e agravos inusitados a saúde dentro da unidade hospitalar, com objetivo principal de agilizar o processo de ações de prevenção e controle destas doenças e agravos. A detecção destas possibilita a geração de informações epidemiológicas da unidade, contribuindo sobremaneira para a Vigilância Epidemiológica Mundial.

            Recentemente, o Ministério da Saúde publicou a Portaria 2254/2010, que institui a Vigilância Epidemiológica em Âmbito Hospitalar (VEAH) como parte integrante do Subsistema de Vigilância do Sistema Nacional de Vigilância em Saúde, com o objetivo de detectar e investigar essas doenças atendidas dentro do hospital. Esta Portaria também determina as atividades a serem desenvolvidas pelos núcleos Hospitalares de Epidemiologia.

            A Portaria 2254/2010 salienta o papel das unidades hospitalares nas ações de vigilância epidemiológica, colocando que o "ambiente hospitalar é importante fonte para a notificação das Doenças de Notificação Compulsória, principalmente os casos mais graves, e que a investigação epidemiológica desses casos pode demonstrar o surgimento de novas doenças ou mudanças na história natural de uma doença ou no seu comportamento epidemiológico, com impacto para a saúde pública no Pais".

            O IPPMG é um hospital pediátrico com setores de emergência, unidade de pacientes internos, unidade de terapia intensiva e atendimento ambulatorial em nível primário e secundário, abrangendo várias especialidades pediátricas. Além das atividades assistenciais, o IPPMG desempenha atividades de ensino e pesquisa, por ser um hospital Universitário. Portanto, o IPPMG é fonte de entrada de pacientes oriundos de todo o Estado do Rio de Janeiro (por ser referência para as especialidades) e porta de entrada para pacientes com uma enorme variedade de doenças, incluindo as doenças de notificação compulsória.

            O IPPMG está inserido na área programática AP 3.1, cuja unidade epidemiológica de referência é o Centro Municipal de Saúde Necker Pinto.

 

            O Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar do IPPMG tem como objetivos:

 

1. Detectar, monitorar, notificar e investigar as DNC, por meio do SINAN;

2. Promover a melhoria da qualidade das informações sobre a situação de saúde dos pacientes acometidos de DNC;

3. Melhorar a articulação com a unidade epidemiológica de referência;

4. Contribuir para o fortalecimento das ações de vigilância epidemiológica;

5. Reduzir a subnotificação no IPPMG;

6. Orientar os profissionais de saúde quanto à importância da notificação das DNC, atualizando constantemente a lista com essas doenças;

7. Orientar os profissionais de saúde sobre os meios de notificar as doenças de notificação compulsória

8. Criar banco de dados eletrônicos contendo informações sócio-demográficas e clínicas dos pacientes acometidos pelas DNC.

9. Enviar semanalmente para O CMS Necker Pinto as informações referentes aos pacientes portadores ou com suspeita de DNC, de forma a criar uma rede de informações contínua;

10. Participar das reuniões do Serviço de Vigilância em Saúde da área,  para atualização das demandas da Secretaria Municipal de Saúde;

11. Elaborar Boletins Epidemiológicos semestrais.

 

 

Equipe:

 

Analucia Mendes da Costa

Elgita A. Diniz

Mariana Tschoepke Aire

Susan Meri Pereira

 

 

 Cartilha de Sarampo

 Situação Epidemiológica da Febre de Chikungunya

 Boletim epidemiológico 2014

 Boletim epidemiológico 2015

 

 

UFRJ IPPMG - Instituto de Puericultura e Pediatria Martagão Gesteira
Desenvolvido por: TIC/UFRJ